O Turismo de Portugal dispensa qualquer tipo de apresentação!

A minha colaboração com esta entidade teve lugar no inicio de 2020, onde fui desafiado para ministrar uma disciplina (a título experimental – tipo “vamos lá ver o que isto dá!”) de Desenvolvimento Pessoal e Criativo.

O convite, ainda que simples e mais do que aceite, tem por trás uma longa e curiosa história. Sendo eu um eterno estudioso e defensor da matéria, a verdade é que, desde que a minha filha Marta – a mais velha – começou a ter um pouco de consciência do mundo onde coabita, me ouve falar da falta que uma disciplina desta natureza faz ao ensino. Ela sabe desde tenra idade como defendo a introdução do desenvolvimento pessoal e criativo no ensino básico.

“Conseguem ter a noção do qual maravilhoso seria se todos nós conseguíssemos, de forma serena e eficaz, lidar com as nossas emoções nos momentos de maior adversidade? (Que diga-se de passagem, vão ser a maior parte deles!)”

“Conseguem ter uma ideia do aumento de produtividade e, consequente realização pessoal, que conseguiríamos ter se soubéssemos o que fazer e quando uma situação menos boa nos acontece?”

“Se tivéssemos ao menos a noção de que só conseguimos controlar menos de 20% do que nos acontece, como conseguiríamos tirar maior proveito da nossa existência?”

A constatação é unânime, eu sei. Todos sabemos que este tipo de “material”, vital para o nosso sucesso enquanto humanos, não vem no leite materno e só raros casos conseguem trazer esta temática de berço. Crescemos de tamanho e nalguns casos ficamos àquem de um similar desenvolvimento interior. Basta fazermos uma breve pesquisa por um qualquer canal digital para nos apercebemos da lista de doenças que lidera esta nova era – todas elas tem a ver com distúrbios do fórum psicológico. Percebemos demais de tecnologias mas nos esquecemos de dominar a parte mais importante desta equação – nós!

O sentimento de gratidão é enorme e não poderia estar mais feliz de poder contribuir oCom um pouco do que sei para as turmas de escola de hotelaria e turismo de Vila Real de Santo António.

Neste profícuo relacionamento surgiu a oportunidade de fortalecermos os laços de colaboração aumentando as áreas de intervenção. Passámos das aulas “indoor” para as famosas formações BEST – Business Education for Smart Tourism. Neste ambiente tive a “sorte” de dar formações de Comunicação, Empreendedorismo, Marketing, Marketing Digital, Realidade Virtual, Estratégias de Comunicação Digital entre muitas outras!

Para fechar o ciclo formativo em grande, com a certeza que passei por todos os níveis, ministrei uma formação certificada de Escrita Criativa com a duração de 15 horas, repartida por 7 dias. Esta, ainda que em contexto digital (na tão desejada sala do “Teams”), teve uma componente prática e interactiva muito acentuada, já que sempre foi de todo meu interesse, partilhar com todos os formando, não só o mesmo espaço, como todos os trabalhos que ao longo das sessões se desenvolviam. No final tivemos que repetir a sessão para satisfazer todos os que não se conseguiram inscrever na primeira edição. Ficámos com 2 turmas, excelentes formandos e grandes amigos!

Isto tudo só foi possível (e vai continuar a ser possível) graças ao Turismo de Portugal aqui nesta escola representado pelo Dr. Manuel Serra – director da nossa escola – e pela Professora, formadora e, também assistente de direção, Angela Oeiras.

Esta é a homenagem que sinto o dever de partilhar uma vez que, para além de todas as minhas outras actividades (aqui em resumo representadas), tanto representa para a minha vida enquanto ser humano, pai, marido e eterno estudante!